Custódias Vivas que levam Cristo ao mundo

31 de agosto de 2015

Liga das Mães reunida para o encontro anual.

maesKaren Bueno – A Liga das Mães de Schoenstatt dos regionais Sudeste e Paraná realiza seu último encontro anual neste final de semana, dias 29 e 30 de agosto. Por ser um ramo muito numeroso, as Mães são divididas por cidades em quatro finais de semana de estudo e reflexão sobre as correntes de vida da Igreja, do Movimento Apostólico de Schoenstatt e da própria Liga, um renovar para a missão de ser Custódia Viva, pura, íntegra e santa. Ao todo, cerca de 650 mães participaram dos encontros durante o mês de agosto em Atibaia/SP.

No último final de semana 140 mulheres dos estados de Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro estiveram presentes no Santuário Tabor da Permanente Presença do Pai para o encontro. Ir. Mariane Galina, assessora regional, explica que as Mães já se preparam para seu jubileu de 70 anos, celebrado em 2017: “Para isso temos um lema que nos norteia: Rainha Custódia Viva, em Aliança contigo queremos tornar Cristo presente em todos os lugares. Ao mesmo tempo, também conquistamos um novo sacrário para a Capela Custódia Viva, e com isso refletimos sobre nosso ideal, colocando neste novo século de Schoenstatt a ideia de que precisamos sair de nós mesmas e levar nosso Movimento a todos os lugares, com o propósito de tornar Cristo presente em todos os momentos”.

Ir. M. Glaucia Couto dá a primeira palestra do encontro, baseada no lema das Mães: Rainha Custódia Viva, em Aliança contigo, queremos tornar Cristo presente em todos os lugares. Ela fala do sacrário vivo que cada uma deve tornar-se, levando Cristo no coração, com “torres de pureza” que protegem esse tesouro – para isso é preciso encontrar-se primeiro com ele e sentir seu amor, para então transmiti-lo ao mundo.

Mais tarde Ir. M. Nelly Mendes leva todas as mulheres a refletirem sobre um “Encontro com o Pai Misericordioso”. A palestra prepara as mães para o Ano Santo da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco, revelando que o Pe. José Kentenich foi uma imagem viva de Pai Misericordioso, um transparente do Bom Pai para muitos. A noite encerra-se com uma vivência no Santuário logo após o jantar.

Mães em saída

No domingo, Ir. Mariane coloca que Schoenstatt é missão e que, por isso, a Liga das Mães precisa estar em constante saída. Segundo ela, ser Custódia Viva requer testemunho, uma vivência coerente da fé em contato frequente com os sacramentos. Marta Manso, do distrito de Pedro do Rio em Petrópolis/RJ, compreendeu bem a mensagem da assessora: “Precisamos mudar nosso interior, refletir sobre nossas atitudes, nossa maneira de ser, de vestir, aquilo que guardamos em nosso ser. Precisamos sempre e em todo momento renovar nosso coração, porque assim mudamos o resto, a vida familiar, os ambientes onde convivemos, tudo o que levamos no coração começa a se traduzir em coisas práticas”.

A Sra. Márcia Celia Maria Silva, de Belo Horizonte/MG, diz que leva muitas coisas importantes desse encontro: “Uma bagagem maravilhosa de conteúdos que aprendi, que escutei e vou colocar em prática, especialmente a palestra da Ir. M. Glaucia que me tocou muito, fiquei encantada com tudo que foi falado”.

A Liga das Mães é um dos ramos do Movimento de Schoenstatt que mais cresce no Brasil. Para a assessora regional, a resposta está no ideal de ser Custódia Viva: “Acredito que o segredo para levar as Mães à Aliança de Amor é o fato de que, poderíamos dizer, elas se apaixonam imediatamente por Schoenstatt e pelo ideal; isso parece que está dentro do coração de cada mãe e, como Custódias Vivas, elas fortalecem o ser mãe e ao mesmo tempo abraçam a causa da Aliança de Amor, refletindo também para as outras que querem selar sua Aliança de Amor”.

Mais fotos