Creio em Deus Pai, que me ama

25 de novembro de 2015

A Fé prática na Divina Providencia

Pe. Nicolás Schwizer – Como entendemos isso? Cremos que Deus Pai fez um plano de vida para cada um de seus filhos. Por esse plano providente, quer nos conduzir a seu Reino, nos educar como filhos, nos aperfeiçoar, segundo a imagem de Jesus Cristo. E porque “Deus é amor”, esse plano não pode ser senão um plano de amor. Deus quer que sejamos eternamente felizes. Por isso, Deus só pode querer 0 nosso bem.

Deus é consequente com seu plano, se preocupa com cada ser humano, porque Ele é Pai. Preocupa-se com cada coisa em minha vida, inclusive a mais insignificante. Por isso a palavra do Senhor: “Não se vendem dois passarinhos por um centavo? No entanto, nenhum, cai por terra sem a vontade de vosso Pai…”.

Deus quer que conheçamos pouco a pouco seu plano de amor. Quer que saibamos qual é seu desejo para conosco. É por isso que Ele nos fala permanentemente. São três os livros que contém sua palavra.

1. O primeiro é a BÍBLIA.

 2. O outro é o livro de sua CRIAÇÃO: Ali nos fala, por exemplo, por meio das flores, do céu, do sol, etc. Cada uma de suas criaturas é a encarnação de um pensamento e de um desejo seu.

3. Mas, principalmente, Deus nos fala por meio do livro da vida, isto é, dos acontecimentos de cada dia. Cada acontecimento – por exemplo, esse problema que ocorreu em meu trabalho ou em minha casa; essa alegria que meu cônjuge me causou; esse conselho que recebi de um amigo, tudo isso é uma voz, um chamado de Deus.

Deus está realmente presente em minha vida e é aí onde tenho que encontrá-lo e dialogar com Ele. Mas, para isso necessito saber olhar com fé o que me acontece e me dar tempo para poder decifrar as mensagens que Deus me envia.

O que é mais difícil aceitarmos em nossa vida são os acontecimentos dolorosos, cruzes e sofrimentos que Deus envia ou que Ele permite. As mãos de Deus são sempre bondosas, mas estão, algumas vezes, revestidas de luvas de ferro. E essas luvas de ferro causam dores.

O que devemos fazer então? Devemos tornar as luvas de ferro transparentes e ver atrás, na luz da fé, as mãos bondosas do Pai. Ele faz tudo sempre por amor, também quando se trata de injustiças, calúnias, humilhações, ou de outras cruzes que permite em nossas vidas. Assim, cada dia de nossa vida, cada acontecimento é como uma carta de amor que Deus nos escreve.

Para encontrar ao Deus da vida, deveríamos buscá-lo primeiro em nosso passado. Deveríamos ver a sua mão naqueles acontecimentos que mais nos marcaram, tanto os tristes como os felizes. Nada disso aconteceu por casualidade. Deus escreve comigo uma original historia de amor, inédita, diferente de todas as outras. E eu preciso aceitá-la assim como Ele deseja.

Mas, principalmente, tenho que ler as mensagens que Deus me envia no momento presente de minha vida. Já não posso mudar o passado e tenho que aceitá-lo tal como foi. O futuro está aberto ainda. E mediante as coisas que estão sucedendo hoje, Deus me está propondo planos que tenho que realizar amanhã: Ele está me convidando para atuar, está me fazendo advertências, está me pedindo mais amor.

Por exemplo, a enfermidade de meu filho, uma situação difícil em meu trabalho, a nota baixa que tirei no colégio, etc., são vozes, chamados de Deus. Também a situação social, política, religiosa do país faz parte de meu diálogo pessoal com Deus. Em tudo, trato de escutar a sua voz para lhe dar a resposta que me pede.

Essa foi a atitude permanente de Maria. Ela ia acolhendo e meditando tudo o que se passava ao seu redor, para descobrir assim o plano de Deus para com Ela. Também nós temos que imitar o exemplo de Maria. Precisamos nos acostumar a refletir sobre o que Deus nos diz ou pede por meio das diferentes coisas que nos acontecem. Então, caminhamos com segurança pela vida.

Perguntas para a reflexão

 1. Vejo Deus nas cruzes da vida?

2. Reflito sobre o plano de Deus em minha vida?

3. Leio o livro de minha vida?

Se desejar se escrever, comentar o texto ou dar seu testemunho escreva para: pn.reflexiones@gmail.com