Confins/MG: Família reunida para celebrar

30 de maio de 2015

12 anos do Santuário Tabor da Liberdade.

confinsJosé Evangelista Giarola Andrade/ Karen Bueno – “Maria é real e verdadeiramente minha Mãe. Não somente me ama como Mãe, mas ela é minha Mãe”, afirma o Pe. José Kentenich, e é nesse espírito filial que a Família de Schoenstatt de Confins/MG celebra o 12º ano de fundação do Santuário Tabor da Liberdade.

Dia 17 de maio de 2015 não é o aniversário da Mãe ou dos filhos, mas sim de toda a Família, porque o Santuário representa o grande ponto de encontro entre todos. E para que essa festa aconteça, muitas pessoas dedicam tempo e esforço: mais de 350 voluntários trabalham incansavelmente, com sorriso no rosto o tempo todo, para preparar a festa e receber os convidados.

Quase 8 mil romeiros, de todas as idades, começam a chegar por volta das 7 horas. Eles vêm caminhando ou utilizando um dos 121 ônibus, 40 vans ou mais de 400 carros, com placas dos mais diversos lugares de Minas Gerais, tanto de perto como de longe.

Mas, o que leva essa multidão a perder dias trabalhando e um domingo que serviria para o descanso? Essa pergunta é feita a vários convidados. As respostas quase sempre são as mesmas: a fé, a esperança, a certeza de ser atendido, um agradecimento, ou muitos, a celebração da vida, a confiança de que, na companhia de Maria e por meio dos seus ensinamentos, a vida por Jesus vale a pena.

Suba ao céu o louvor filial

Festa de aniversário é ocasião para reviver momentos e histórias, então neste dia todos têm a oportunidade de recordar, ou mesmo conhecer, os passos do Pai e Fundador, Pe. José Kentenich. A história de sua vida é apresentada por uma vivência preparada pela Liga de Famílias, o que é uma tradição no Tabor da Liberdade: O Encontro com o Pe. Kentenich.

O Movimento Apostólico de Schoenstatt, grande presente deixado pelo Pai e Fundador, é enaltecido pela Juventude Feminina (Jufem), envolvendo toda Família de Schoenstatt durante uma apresentação que recorda os 80 anos da Obra no Brasil. As jovens representam as 12 Irmãs de Maria pioneiras que desbravaram as terras brasileiras para semear este Movimento mariano.

Todos experimentam vários momentos de oração, como a reza do Terço dos Homens, os testemunhos dados por alguns peregrinos, a adoração e bênção do Santíssimo e a presença permanente da Mãe de Deus por todos os cantos.

O ponto alto da festa é a celebração eucarística, presidida pelo arcebispo de Belo Horizonte/MG, Dom Walmor de Oliveira Azevedo, e concelebrada pelos padres Alexandre José Resende e Lourival Felipe Soares. Milhares de peregrinos, acomodados sob as árvores e até mesmo debaixo do forte sol da tarde, ouvem atentamente as palavras do arcebispo: “Temos que nos sentir honrados por poder amar Jesus! […] Precisamos acreditar que onde estiver Maria, ali estará Jesus”. A Festa da Ascensão do Senhor tem um significado importante na Santa Missa – assim como o Pai levou Jesus de volta para junto dele, Maria também quer chamar a cada um de volta para seu Filho.

Na confiança de que a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt está presente no Santuário, para acolher, orientar e proteger seus filhos, todos se despedem, ou melhor, dizer um “até breve”, com a grande certeza de que “aqui é bom estar”.

Fotos (Maiara Marques)