Com a Mãe e Rainha, misericordiosos como o Pai!

14 de junho de 2016

Peregrinação ao Tabor da Esperança

capa

Edileuza Maria de Fontes Gonçalves – No dia 5 de Junho, a Diocese de Anápolis/GO peregrinou ao Santuário Tabor da Esperança em Brasília/DF. Como Deus vem ao nosso encontro, este foi o dia de ir ao seu encontro, à sua casa, à casa de sua Mãe, para deixar-nos abraçar pela sua infinita misericórdia, para sermos transformados e enviados ao mundo, como missionários da misericórdia.

A peregrinação é um sinal característico do Ano Santo, representa o caminho que cada pessoa realiza em sua existência, coisas boas e más. Com a palestra do Pe. Adilson Costa: “Minha Família, Porta da Misericórdia”, pudemos perceber as misericórdias do Pai em nossa vida. Ele disse que devemos deixar para traz a falta de perdão, que causa danos às pessoas que nos relacionamos; deixar tudo o que nos torna pessoa amarga, negativa e desconfiada; tudo o que fecha o nosso coração e o torna endurecido, incapaz de acolher o amor misericordioso do Pai que perdoa. O padre disse ainda que, se estamos no Santuário, devemos deixar que a Mãe e Rainha nos conduza à experiência de um novo começo de vida, olhando para frente. E quando a mágoa, a dor, a ingratidão e a incapacidade de perdoar pesar em nosso coração, deixemos ser carregado pela Mãe, fazendo o propósito de viver reconciliado com Deus e com os irmãos.

Um encontro com Jesus

Logo em seguida, Jesus, em sua infinita misericórdia, quis permanecer entre nós sob as espécies do pão e do vinho, com adoração do Santíssimo presidida pelo Diác. Ari. O Sacramento da Eucaristia é o grande sinal da sua presença de Cristo no meio de nós: nosso alimento, nossa vida e nossa esperança. Este foi o momento de pedir a Jesus que nos toque por sua misericórdia e que nos transforme em missionário da misericórdia e, por meio de obras, orações e palavras, reacenda em nossos corações a esperança de um mundo melhor.

Em seguida, houve o momento cultural sertanejo, com sanfona e viola, show de prêmios e barracas com comidas típicas de festa junina, brincadeiras e uma fogueira enorme que trouxe verdadeira alegria e diversão a todos nós.

Um encontro com o Pe. Kentenich

Ir. M. Clades Schwengber nos conduz para a estátua do Pe. José Kentenich, com uma reflexão sobre a pessoa do Fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Sua atitude é de acolhida, de boas vindas. Certamente ele daria a nós que peregrinos ao Santuário o belo ensinamento: passar o dia pronunciando esta pequena oração: “Pai, porque sou fraco e pequeno, faze que eu me torne um perene milagre da Misericórdia!”

Após a oração do rosário, a programação se encerrou com a Santa Missa presidida pelo Pe. Adilson Costa. Foi um dia de oração, de partilha, de encontro com a razão última de nossa vida: Jesus Cristo.

Ver fotos