Campanha: Coordenadores são chamados a avançar

9 de março de 2016

Tempo de saída na Arquidiocese de Belo Horizonte.

confins santuarioPoliane Bôsco – Atendendo ao chamado da Mãe, os coordenadores da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt (CMPS) da Arquidiocese de Belo Horizonte/MG se reúnem no Santuário Tabor da Liberdade. A meta do encontro neste domingo, 6 de março, é se inteirar das diretrizes para o ano. Um dia de oração, palestras e um chamado para que a Campanha avance na Arquidiocese marca o domingo em Confins/MG.

Com um café comunitário e um momento de oração no Santuário se inicia o encontro, contando com a presença de 110 coordenadores aproximadamente. Na oração a assessora do Movimento Apostólico de Schoenstatt na região, Ir. M. Liliane Dias chama a atenção para o Ano Extraordinário de Misericórdia e a necessidade de vivenciar essa misericórdia de Deus. Por meio de uma dinâmica e contando a história de São Jerônimo, os coordenadores são convidados a entregar a Jesus as suas misérias.

Em procissão, rezando a Ladainha da Misericórdia, os coordenadores seguem para a Tenda para um momento de palestras. Marcelo Lopes Gonçalves, coordenador da Região Nossa Senhora Aparecida (RENSA), destaca a importância da missão de cada coordenador como canal para que os frutos da misericórdia se manifestem nas famílias que recebem a visita da Mãe Peregrina. “Você é um instrumento nas mãos da Mãe para levar a misericórdia e o amor do Filho dela até as famílias”, explica.

Para onde podemos avançar

O coordenador da Região Episcopal Nossa Senhora da Piedade (RENSP), João Batista Moreira, repassa aos coordenadores os pontos tratados no Encontro de Equipes Diocesanas, realizado em Atibaia/SP uma semana antes. Cada equipe precisa então fazer um levantamento dos dados da Campanha da Mãe Peregrina e propor estratégias para progredir. Na Arquidiocese de Belo Horizonte, cada regional tem um enfoque para que Campanha gere mais frutos e a Arquidiocese como um todo tem como propósito:

– Formação continuada dos missionários
– Formar novos missionários, incluindo enfermos, infanto-juvenil e jovens
– Visitar os párocos e envolvê-los na Campanha
– Promover encontros com coordenadores nas paróquias

Ainda na parte da manhã, a Ir. M. Liliane Dias fala sobre a importância da vinculação dos missionários ao Santuário, a importância da Aliança de Amor e das contribuições ao Capital de Graças.

Misericórdia e Perdão

Na parte da tarde, a coordenadora da Região Episcopal Nossa Senhora da Esperança (RENSE), Marília Diniz Greco Palmini explica aos coordenadores como alcançar a indulgência plenária no Ano Santo da Misericórdia, por meio da confissão, recebendo a Sagrada Eucaristia, rezando pelo Papa e realizando as obras de misericórdia. Ela explica sobre a importância do perdão e da misericórdia. Ao final da palestra, Marilia orienta todos a rezarem o salmo 50, diariamente até a celebração Páscoa.

Os coordenadores da Região Episcopal Nossa Senhora da Conceição (RENSC), Geraldo e Nilda Cardoso, e o coordenador da RENSA, Marcelo Gonçalves, organizam uma dinâmica convidando todos a “lavarem aquilo que os prejudica”. Para introduzir os coordenadores na corrente do ‘Schoenstatt em Saída’, eles simbolicamente lavam as sandálias da missão, rezando pela renovação do espírito missionário. Também lavam um símbolo que representa a Campanha, retirando a poeira adquirida no caminho e pedindo para que sejam revigorados todos os seus trabalhos. E, por último, recordando o Ano da Misericórdia, lavam os corações, para que sejam perdoados os pecados, rezando pela renovação do ardor apostólico.

Ao final os coordenadores que prepararam a dinâmica oferecem um medicamento adequado que poderá ser usado em qualquer momento e não tem contra indicações: a misericórdia. Eles mostram uma caixinha de medicamento contendo um terço, uma bula com as obras de misericórdia e a estampa de Jesus Misericordioso com o Terço da Misericórdia. Com isso querem transmitir a importância da oração e da misericórdia no trabalho de cada coordenador e missionário da CMPS.

O encontro encerra-se com Santa Missa, presidida pelo Pe. Alexandre José Resende, pároco da Paroquia São José, de Confins/MG, e assistente eclesiástico da Campanha no Santuário Tabor da Liberdade. Os coordenadores são então enviados para repassar aos seus missionários as estratégias propostas para o florescimento da Campanha na Arquidiocese.