Assim aprendemos com nosso Pai

3 de março de 2016

80 anos da Pedagogia Kentenichiana na educação regular.

pai kentenich jkKaren Bueno – O Movimento Apostólico de Schoenstatt celebra, junto aos 80 anos do colégio Mãe de Deus, também os 80 anos da pedagogia Kentenichiana aplicada em escolas regulares. Foi nessa escola que as Irmãs de Maria implantaram, pela primeira vez, o método de formação do Pai e Fundador no ensino regular, para além das fronteiras de Schoenstatt.

A proposta pedagógica do Pe. Kentenich é a essência do Movimento, por isso o Fundador define a Obra como um “Movimento de educação e de educadores”.

“Ele descreveu em muitas ocasiões seu conceito de educação. Com diferentes matizes e acentos, a define assim: educar significa servir desinteressadamente a originalidade e particularidade do outro, ou seja, servir a vida que Deus depositou em cada pessoa, sem buscar o próprio interesse” (Vademecum da Central Nacional de Assessores do Movimento no Brasil, pág. 11).

Sob a proteção de Maria…

A pedagogia Kentenichiana aparece documentada, em primeiro lugar, no dia 27 de outubro de 1912, data do primeiro encontro do Pe. José Kentenich com os jovens seminaristas. Ali ele afirma: “Sob a proteção de Maria, queremos aprender a educar-nos, para sermos personalidades firmes, livres e sacerdotais. […] Aprenderemos uns dos outros, pois nossa aprendizagem nunca há de cessar, principalmente em se tratando de arte da autoeducação, que é obra de toda a nossa vida”.

Nessa palestra introdutória ele apresenta a palavra-chave de sua pedagogia: autoeducação; e o método principal: sob a proteção de Maria. Pe. Kentenich explica que a autoeducação é um imperativo de tempo, algo que precisa ser cada vez mais aprofundado. Aos poucos ele vai trabalhando, explicando e aplicando o conceito entre os jovens, até chegar ao seu ápice, no dia 18 de outubro de 1914, dia da Aliança de Amor original.

A pedagogia selada na Aliança

Num contexto de volta às aulas, na tarde de 18 de outubro de 1914, os jovens congregados selam a Aliança de Amor com Maria. Entre os fundamentos desse ato, está a explicação: “Cada um de nós deve alcançar o mais alto grau imaginável de perfeição de estado e de santidade. Não simplesmente o grande e o maior, porém, o máximo há de ser a meta de nossa mais elevada aspiração”.

Ou seja, a condição para a Aliança se manter viva é o compromisso com a autoeducação, com o esforço real pela santidade, sempre sob o cuidado da Mãe e Rainha.

Novo homem, novo mundo

A finalidade da educação, segundo o Pai e Fundador, é a maturidade humana, religiosa e social do indivíduo. A vida é o critério fundamental da educação, porque educar é servir desinteressadamente esta vida: “Educar significa conceber vida, despertar vida e transmitir vida”, diz ele.

O grande objetivo da pedagogia do Pe. Kentenich é formar um homem novo em uma nova comunidade. Ele acompanhou, principalmente durante as duas guerras mundiais, o efeito desastroso da massificação do pensamento. Sempre alertou para o perigo do homem se tornar como que uma “peça de máquina”, que age sem pensar, movido pela influência de terceiros.

Pe. José Kentenich se preocupa com a formação de um homem novo que, segundo ele, é uma personalidade livre, filial, capaz de estabelecer vínculos profundos e equilibrados com Deus, com as pessoas, com a natureza, com as coisas e com o trabalho. É esse novo ser que vai formar, consequentemente, a nova comunidade, caracterizada pelo laço de amor que une as pessoas e as leva a se sentirem profunda e solidariamente responsáveis umas pelas outras.

Cinco estrelas condutoras

Apesar da Pedagogia do Pe. Kentenich estar atrelada a Schoenstatt, ela também pode ser vivida por pessoas que não pertencem ao Movimento, ou então que nem mesmo são católicas, por isso o método é difundido em várias escolas e instituições de ensino. A maneira de se educar pode variar de acordo com o grupo ou as pessoas, mas a metodologia é sempre a mesma, baseada em cinco fundamentos, chamados de “estrelas condutoras”:

1. Pedagogia do ideal
2. Pedagogia das vinculações
3. Pedagogia da Aliança
4. Pedagogia da confiança
5. Pedagogia do Movimento (ou das Correntes de Vida)

Clique para conhecer cada uma delas

Uma oportunidade para quem quer conhecer melhor o método Kentenichiano de educação

É impossível condensar todo o rico conteúdo que a Pedagogia Kentenichiana acumula, são páginas e mais páginas de estudo. Além desses fatores há muitos outros meios ascéticos que o Movimento oferece como forma de autoeducação – horário espiritual, exame particular, ideal pessoal, etc. Tudo isso só é possível de se aprender na prática, como o Fundador mesmo disse em 1912, “andar se aprende andando, amar se aprende amando”.

É sempre válido buscar orientação nas bibliografias de Schoenstatt e para aqueles que desejam aprender mais, no mês de agosto o colégio Mãe de Deus realiza o primeiro Congresso Internacional Schoenstatt de Educação. Para saber mais acesse: Congresso de Educação.

Referências

A educação do amor humano na perspectiva do Pe. Kentenich, Ir. M. Fátima Elisa Dotto. Tese para obtenção de Mestrado. Pontifício Instituto João Paulo II para estudos sobre Matrimônio e Família. Pontifícia Universidade Lateranense/Roma, 1994.

O Sistema Pedagógico de Schoenstatt, Antônio e Sônia de Lima. Série Educação 2. Santa Maria/RS, 1990.

Vademecum da Central Nacional de Assessores do movimento Apostólico de Schoenstatt no Brasil.