Abre-se a Porta Santa do Santuário Original

19 de dezembro de 2015

Que a corrente da misericórdia se espalhe para todos os filhos de Schoenstatt.

sabtuario originalIr. M. Isabel Machado – Em todo o mundo, foram abertas neste domingo – 13 de dezembro, domingo da alegria – santas Portas da Misericórdia. Nos Anos Santos anteriores foram abertas apenas as Portas Santas nas principais Basílicas de Roma, mas para este Ano Santo Extraordinário, a multiplicação de Portas Santas nos quer transmitir o desejo de Deus de vir ao nosso encontro!

Também o Santuário Original em Schoenstatt recebeu este privilégio! Um privilégio enorme, se vermos que na Diocese de Trier foram abertas cinco Portas Santas da Misericórdia e que somente a Catedral em Trier e o Santuário Original foram designados como Portas Santas o ano inteiro. Os outros três lugares foram designados como Portas Santas apenas por períodos breves

A Santa Missa solene na Igreja dos Peregrinos marca a abertura deste período de graças. A porta é uma imagem tradicional do Advento, disse em sua homilia o Pe. Juan Pablo Catoggio, presidente do Presídio Geral da Obra de Schoenstatt e presidente da celebração.

Ele continua em sua homilia: “Um canto tradicional do Advento diz que devemos abrir as portas, abrir amplamente os portões para a chegada de Jesus. Mas há uma diferença: embora normalmente, durante o tempo do Advento, as portas são abertas pelas pessoas, para que Jesus possa entrar, aqui acontece o contrário: é Deus quem abre a Porta Santa para que todos possam entrar, encontrar perdão e obter um coração compassivo”.

pe juan pablo

“Eu sou a porta para o Pai” – estas palavras de Jesus são relembradas na homilia por Pe. Juan Pablo. “O coração aberto de Cristo é a porta ‘original’ (primeira) da misericórdia”. Ele enfatiza: “Um ano de misericórdia só pode dar resultados se o olhar de cada um se dirigir aos outros. Sede misericordiosos como o vosso Pai nos céus”. O amor misericordioso de Deus, que cada um pessoalmente recebe neste ano da Misericórdia, deve ser aceito com gratidão e presenteado a outros.

Pe. Catoggio lembra também da carta de Natal que o Pe. Kentenich escreveu em Roma exatamente há 50 anos e enviou à toda Família de Schoenstatt. Uma carta perpassada pelo pensamento da Misericórdia: “É impressionante quão congruente é esta carta de Natal do Pe. Kentenich com a mensagem atual do Papa”, disse o sacerdote.

Toda a atmosfera da celebração fala da alegria pela vinda próxima do Senhor, o grande presente da Misericórdia do Pai: as árvores de Natal repletas de luzinhas acesas; o coro que entoa cantos em diversos idiomas e a própria expectativa e preparo interior das pessoas presentes na celebração.
Uma senhora do Brasil, por exemplo, que vive na Alemanha, viajou com suas amigas por mais de uma hora e meia, chegando em Schoenstatt para confessar-se e assim preparar-se para este dia.

Convite a peregrinar

“Irmãos e irmãs, inspirados e movidos pela fé em Jesus, nosso Salvador, que renovamos durante a celebração eucarística e sob a proteção da Bem-aventurada, Imaculada Conceição da Virgem Maria, caminhamos para o Santuário Original, onde a Porta Santa se abre para nós: É o próprio Cristo, que através do ministério da Igreja nos introduz no consolo do amor de Deus ; um amor sem limites, que abraça toda a humanidade. Preparemos nossos corações para a ação do Espírito Santo – no desejo de corresponder com alegre prontidão à vocação cristã comum: a santidade”.

Com essas palavras do reitor do Santuário Original, Pe. Antonio Bracht, no final da celebração eucarística inicia-se a peregrinação ao Santuário Original. Bandeiras de diversos países e orações e cantos em línguas diferentes tornam concreta a presença da Família de Schoenstatt internacional. Também famílias se fizeram de modo especial presentes nesse momento, quando pais e filhos levam rosas vermelhas como presente para a Mãe de Misericórdia.

Para destacar o ano especial e o privilégio da Porta Santa, é feito um portal diante da entrada do Santuário Original, onde junto com o logo do Ano Santo está escrito em 11 idiomas diferentes o lema: “Misericordiosos como o Pai!”.

Com o pedido que este ano se torne um ano da experiência da bondade do Senhor e da vivência do amor do Evangelho a Deus e ao próximo, Pe. Catoggio reza diante ainda da porta fechada do Santuário Original: “Mas eu, graças à vossa grande bondade, entrarei em vossa casa Senhor. Prostrar-me-ei em vosso santuário, com o respeito que vos é devido!” (Sl 5,8). Após um silêncio comovente e uma pequena pausa é aberta a porta do Santuário Original, seguida com o tocar do sino.

Em diferentes línguas é repetido o versículo 8 do Salmo 5 e representantes de diferentes países podem atravessar a Porta Santa em nome dos muitos peregrinos que espiritualmente ou por internet participam deste momento.Ainda como expressão da presença internacional dos muitos peregrinos que visitam este lugar sagrado, o cajado com os medalhões que registraram os diferentes grupos que visitaram Schoenstatt de outubro de 2012 até dezembro de 2014 é trazido ao Santuário Original.

No final das orações oficiais o olhar de todos se volta para Maria, Mãe da Misericórdia e Mãe de Misericórdia. “A ternura de seu olhar nos acompanhe neste Ano Santo, para que possamos redescobrir a alegria da ternura de Deus”, reza o celebrante, convidando todos então a renovarem a Aliança de Amor com a Mãe de Deus.

Como sentimos a misericórdia

crianças schoenstatt

O convite a entrar pela Porta Santa da Misericórdia é atendido por um grande número de pessoas. É comovente ver os gestos que acompanham os vários peregrinos no momento que atravessavam a porta: uma pequena pausa antes de entrar no Santuário; beijar a porta; fechar os olhos e fazer uma pequena oração…. Muitos entraram com as mãos abertas, como símbolo da fé nas graças de misericórdia que esperavam receber. Outros trazem objetos de devoção para serem abençoados.

Dentro do Santuário quatro sacerdotes esperam para dar a bênção pessoal para famílias, jovens, senhoras, homens, Irmãs, enfermos em cadeiras de rodas: o convite é aberto para todos! Ouve-se um murmúrio das intenções que são colocadas aos sacerdotes pelas pessoas, como pedido de bênçãos, já que era claro que cada pessoa que ali estava sentia-se e sabia-se representante de muitas outras pessoas. Muitos se ajoelham para receber a bênção.

A celebração oficial termina com um convite: “Sede misericordiosos como o Pai!”, o que impele a todos na luta pessoal pela conquista da misericórdia, que vai muito além de realizar obras de misericórdia: “é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com os olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida!” ( Papa Francisco, Misericordiae Vultus).

Mais fotos