Abertura das atividades no Santuário Tabor da Esperança

24 de fevereiro de 2016

Em Família, dando os primeiros passos no ano da misericórdia.

brasiliaArlete Rocio Cardoso Araujo – Neste Jubileu Extraordinário do Ano Santo da Misericórdia, a Família de Schoenstatt de Brasília/DF, composta por dirigentes de ramos e coordenadores da Campanha da Mãe Peregrina, participa no dia 20 de fevereiro da abertura das atividades do ano de 2016, no Santuário Tabor da Esperança.

A programação inicia com a bênção do Santíssimo no Santuário, diante da Porta Santa da Misericórdia, onde todos querem adentrar e aprender a ser “Misericordiosos como o Pai”.

O mistério da fé cristã

Num segundo momento, já na Tenda, o encontro é enriquecido com as palavras do capelão do Santuário, Pe. Adilson Costa, cujo tema aponta “O rosto misericordioso do Pai”. A reflexão norteia os passos de todo ano para o Movimento Apostólico de Schoenstatt em Brasília.

“Nós, de Schoenstatt, também queremos estar inseridos nessa temática refletida pela Igreja. Nós que dizemos crer em Deus, nós que cremos na palavra de Deus, nós que temos Maria, Mãe da Misericórdia, como nossa educadora e formadora, não podemos deixar de vivenciar aquilo que é essencial da nossa fé, essa talvez seja a novidade com Deus Misericordioso. Qualquer civilização fala em justiça, mas o nosso Deus é mais do que justo, ele é Misericordioso, ele é bom, ele é amor. A Misericórdia de Deus ultrapassa a justiça”. Pe. Costa encerra afirmando que, neste Ano Santo, “somos chamados a rever a misericórdia uns com os outros, sobretudo com aqueles que mais necessitam”.

Em seguida há um momento de testemunhos, dentre eles o da Sra. Maria do Socorro Furtado Silva, coordenadora da Campanha da Mãe Peregrina e da Liga das Mães: “Fui diagnostica com leucemia há mais de quatro anos, foi um choque! Apeguei-me com o Pe. Kentenich e a Mãe e Rainha. Após novos exames fui informada pelos médicos que não era leucemia e sim um linfoma, mas não sabiam em que parte estava localizado e nem sabiam o tipo, para começar a quimioterapia. O tempo todo me mantive firme na fé em Deus e na intercessão do Pe. Kentenich. Após novos exames foram detectados tumores no baço e no abdômen. Pedi ao Pe. Kentenich que me ajudasse a ser obediente à vontade de Deus Pai. Isso me sustentou até hoje. Fui submetida a uma cirurgia e deveria fazer dez sessões de quimioterapia, mas minha recuperação foi tão boa que parei na sexta sessão. Continuei fazendo uso de medicamentos e hoje não uso nenhum remédio, com alta total quando completar cinco anos. Durante todo o tempo de internação e tratamento, nunca deixei a foto do Pe. Kentenich, confiante na sua intercessão”, completou emocionada.

Schoenstatt em saída

Vivian Cristina Fregonesi, da União de Famílias, e Márcio Batista de Oliveira, coordenador da CMPS e membro da União de Famílias, de forma sucinta passam as linhas gerais da ação do Movimento Apostólico de Schoenstatt para o ano de 2016. Eles recordam que no último Congresso de Outubro, o tema principal foi: Como devemos viver o Ano da Misericórdia. “Este ano é propicio para que nós possamos viver aquela que é a vocação própria de batizados, ou seja, sermos missionários. Nós somos um Movimento em movimento e temos um caráter apostólico”, afirmam.

Eles apontam as indicações das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil e o conteúdo do Congresso: “A Igreja em saída deve superar uma pastoral de conservação para assumir uma pastoral decididamente missionária. Isso se aplica também a nós! Schoenstatt é um Movimento que nasceu destinado à missão, é um Movimento que sai às ruas; filho da guerra, que vai aos campos de batalha. A hora da luta é agora! Chegou a hora de Schoenstatt! Justamente agora a Mãe de Deus nos envia para a luta e precisa do nosso testemunho”.

Após o almoço comunitário, a nova assessora do Movimento no Santuário Tabor da Esperança, Ir. M. Clades Schwengber, é apresentada a todos e acolhida com uma salva de palmas. Dando continuidade, o coordenador da CMPS, Joanes Gregoratto, passa algumas orientações práticas, entre elas, a conquista da estátua do Pai e Fundador. Em seguida há um trabalho em equipe por ramos e pela Campanha, que culmina com apresentação dos grupos.

Após tantos momentos ricos em espiritualidade schoenstattiana, chega o ápice do encontro com a Santa Missa, celebrada pelo Pe. Adilson Costa. Como presente divino o evangelho apresenta a pessoa de Pedro no Monte Tabor exclamando: ‘Aqui é bom estar!’ E todos, a exemplo de Pedro, também podem encerrar esse momento exclamando: ‘Aqui é bom estar!’ – pois estão no Santuário Tabor – , e permitir que a Mãe e Rainha anime, encoraje e conduza todos à missão!