A Igreja da Santíssima Trindade em Schoenstatt

21 de maio de 2016

Com Maria ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

igreja da adoraçaoKaren Bueno – Quem conhece Schoenstatt, conhece a igreja da Santíssima Trindade, ou igreja da adoração, como é chamada. Além da arquitetura imponente, que eleva o pensamento ao céu, ela guarda um tesouro muito especial para a Família Internacional de Schoenstatt: é o lugar onde está sepultado o Pe. José Kentenich.

Essa igreja, mais do que um grande monumento arquitetônico, é um ato de louvor e gratidão ao Bom Deus e à Mãe e Rainha por terem acompanhado o Pai e Fundador em todas as suas batalhas no campo de concentração de Dachau. Desde que o Pe. Kentenich retornou vitorioso da prisão, as Irmãs de Maria, e depois toda a Família de Schoenstatt, desejavam erguer uma grande catedral em gratidão ao Bom Deus; também eram gratos porque nenhuma bomba ou nenhum mal originário da guerra atingiu o Santuário.

Somente 23 anos mais tarde ela foi inaugurada, no dia 9 de junho de 1968. Nessa ocasião, a Mãe e Rainha já tinha vencido mais uma importante batalha: o exílio do Pai e Fundador nos Estados Unidos, que se encerrou em 1965.

Pe. Kentenich não participou da solenidade de inauguração, mas enviou uma mensagem que, entre outros, dizia:

“Nossa Igreja de Adoração tem a forma de um castelo. Por isso tem o nome de ‘Castelo de Deus’. O próprio nome já nos aponta para o tempo passado e nos adverte que devemos, em todas as circunstâncias, conservar firmemente e cultivar cuidadosamente tudo o que é de valor e que o passado nos transmitiu. Nesta Cidade de Deus domina e reina o Deus vivo, não em último lugar, na forma de Jesus Eucarístico como sacrifício, refeição e objeto de adoração perpétua. A partir daqui ele quer transformar todo o mundo da criação, em especial o dos homens, num Castelo de Deus, e isto num tempo que parece se orgulhar de estar continuamente fugindo de Deus. A Família de Schoenstatt fala, já há anos, não só de Santuário Original, não só de Santuários Filiais, não só de Santuários Lares, mas também de Santuários Coração. Com isso se quer referir ao coração do homem como morada da Santíssima Trindade. Por isso este é o grande ideal que, através da Igreja de Adoração como Castelo de Deus, deve ser gravado: o coração de cada homem deve tomar-se uma igreja da Santíssima Trindade, ou seja, uma igreja habitada e consagrada à Santíssima Trindade”.

Por que uma “Igreja da Santíssima Trindade”?

capela do fundador

Capela do Fundador

Pe. Kentenich dá várias explicações para essa conquista, entre elas:

– Nossa Senhora é obra-prima da Trindade e tem a tarefa de conduzir seu aliado para essa meta [para a Trindade].
– A Santíssima Trindade é o objeto de nossa adoração.
– A MTA, na confusão da Segunda Guerra Mundial, por muitos caminhos conduziu os seus seguidores ao Pai do Céu e, assim, à Santíssima Trindade; isso deverá ser sempre reconhecido e relembrado no futuro.
– Nossa Obra tem um Santuário no qual a MTA exerce seu trabalho pedagógico. A grande Igreja de Adoração nos aponta a meta para a qual ela quer levar a todos, sem exceção.

O “Cantinho do Fundador”

Pe. José Kentenich celebrou uma única missa nessa igreja, justamente no dia de sua morte, 15 de setembro de 1968. Ele fala sobre ela: “Esta catedral de Deus, este castelo de Deus, este castelo da Santíssima Trindade quer ser também símbolo de Schoenstatt como lugar e para Schoenstatt como Família. (…) Schoenstatt como um todo deve crescer mais e mais, deve ser um castelo da Santíssima Trindade, não só construída de pedras, mas de seres vivos”.

Ele foi sepultado no lugar onde faleceu, na sacristia da igreja da adoração, que “tornou-se a capela do Fundador”, um lugar especial de encontro com o Pai.

Clique para visualizar as fotos:
Adoration Church

Founder Chapel