A Família de Schoenstatt te espera no Santuário

2 de julho de 2015

Você é muito bem vindo.

curitibaKaren Bueno – “Todos os que aqui chegarem para rezar terão de experimentar as magnificências de Maria e confessar: Aqui é bom estar! Aqui queremos construir tendas! Este será nosso lugarzinho predileto!” (Documento de Fundação de Schoenstatt).

O Santuário da Mãe e Rainha nasce com a missão de ser um Tabor das glorias de Maria, ou seja, um lugar acolhedor onde os peregrinos encontram uma Mãe que os espera pronta para abrigar, renovar e enviar em missão. Para ressaltar essa experiência de Tabor, a Família de Schoenstatt de Curitiba/PR cria um projeto de acolhida aos peregrinos que visitam o Santuário, o projeto Domingo Missionário, que acontece todo quarto domingo de cada mês.

“O grande objetivo é acolher os peregrinos que visitam o Santuário, se atentar para suas necessidades e falar da nossa espiritualidade do Movimento. Muitos chegam, entram, mas não conhecem a pedagogia de Schoenstatt, detalhes sobre a Aliança de Amor. A ideia é que membros da Família de Schoenstatt estejam identificados e disponíveis para acolher, dar um bom dia, perguntar se precisam de alguma coisa”, explica Janaína Silva, presidente do conselho junto com seu esposo Hamilton Silva.

A conversa com os peregrinos é muito simples: “Nós dizemos: ‘Boa tarde! Como é seu nome? É a primeira vez que veio ao Santuário? Já conhece nossa Obra? Você já selou a Aliança de Amor?’. Fazemos uma abordagem muito pessoal, levando em conta o que o Espírito Santo move em nossos corações e demonstrando boa vontade, acolhimento e carinho muito mais do que qualquer técnica”.

A Família de Schoenstatt de Curitiba realiza Missões Familiares anualmente, e refletindo em conjunto, percebeu a necessidade de um trabalho apostólico também junto ao Santuário, que recebe um grande fluxo de romeiros aos sábados e domingos. “O projeto é um fruto do centenário da Aliança de Amor. Sentimos que era preciso realizar uma ação mais concreta junto ao Santuário, dando resposta também àquilo que o Papa Francisco motivou no jubileu; assim, o nosso ‘Schoenstatt em saída’ funciona tanto dentro como fora do Santuário”, diz Ir. Marineuza Garcia.

Um presente para a Mãe de Deus

O projeto é recente, começou no início de 2015 e teve poucas edições, mas já traz frutos importantes: “Essa ação da Família está sendo muito positiva, porque todos se reúnem, fortalecendo o espírito de unidade. Por meio desse projeto várias pessoas se interessaram em participar do Círculo da Aliança de Amor, ingressar nos ramos do Movimento. É algo muito gostoso e muito gratificante realizar essa experiência como um presente para a Mãe de Deus”, comenta Ir. Marineuza.

Curitiba conta com dez fileiras do Movimento Apostólico de Schoenstatt, entre ramos e comunidades, e em cada Domingo Missionário dois representantes de cada uma delas colaboram no projeto de acolhida. “Os voluntários ficam responsáveis por acolher, conversar, orientar, encaminhar ao padre caso alguém queira se confessar, ajudar aqueles que não têm os sacramentos, etc.”, conta Janaína.

O Santuário de Curitiba tem ainda outros projetos missionários, como o Círculo da Aliança de Amor e o ‘Leve a Mãe para a casa’, e tudo está interligado, um colabora com o outro, e agora com o Domingo Missionário os outros projetos ganham maior repercussão.

Hino de gratidão

O projeto está também interligado com a missão do Santuário de Curitiba, Tabor Magnificat. “A missão do nosso Santuário é entoar um hino de louvor à Mãe de Deus, um reconhecimento da sua pequenez, mas também das maravilhas, da grandeza que Deus realizou em sua vida. Nos sentimos muito pequenos diante da dimensão desse Santuário, de sua dinâmica, da vida que há ao redor, é obra de Deus. As pessoas não vem porque nós as buscamos, elas vem por si só, por sua devoção, porque Deus as atrai, porque Nossa Senhora as chama. O curitibano é muito religioso, e ao ouvirmos seus testemunhos explicando porque visitam o Santuário, as graças que receberam, nós contemplamos nesse Domingo Missionário as maravilhas que Deus realiza no nosso Santuário e entoamos com a Mãe de Deus seu hino de louvor”.

A Família de Schoenstatt da capital paranaense quer ser um instrumento que colabora na missão da Mãe e Rainha em seu Santuário: “Nós queremos evangelizar, ser aquela voz cuidadosa do pastor que percebe que uma ovelha se aproxima e que ela precisa de cuidados; queremos estar disponíveis para atender as pessoas como nosso Pai e Fundador fazia”, diz Janaína Silva.