A causa de beatificação de José Engling avança

11 de abril de 2016

Um grande passo é dado em Roma.

englingKaren Bueno – Na última semana a causa de beatificação de José Engling avança mais uma etapa. No dia 7 de abril os responsáveis pelo processo entregam na Congregação para a Causa dos Santos, em Roma, o documento chamado Positio, que reúne as informações colhidas sobre a vida do candidato à beato.

O documento, formado por mais de 500 páginas, reúne a história, as virtudes e a fama de santidade do jovem heroi de Schoenstatt. “Agora esta Positio vai para a Comissão Histórica, a seguir para uma Comissão Teológica. Se, e quando, houver algum milagre por intercessão de José Engling, poderá ocorrer sua beatificação, exceto se – como já aconteceu várias vezes – as regras jurídicas mudarem”, escreve Pe. Joachim Schmiedl, postulador da causa, em uma rede social.

O que é a Positio?

Na fase diocesana do processo, depois de seguir os protocolos para sua abertura, uma comissão reúne todos os documentos que dizem respeito à pessoa avaliada, tais como seus documentos pessoais, suas cartas e tudo o que ela escreveu, também o material que foi escrito sobre ela em livros, revistas e jornais, por exemplo. É necessário fazer uma cópia autenticada de tudo isso antes de entregar ao tribunal diocesano. Terminada essa coleta de materiais, o dossiê é enviado, pelo bispo, à Congregação pela Causa dos Santos, em Roma.

Na fase romana do processo, a Congregação responsável examina se a documentação é válida e, partir daí, nomeia um relator que tem a missão de – com base nesse dossiê – selecionar, escrever e sintetizar um documento chamado “Positio”. No caso de José Engling, o relator do processo é o Pe. Zdzislaw Kijas.

A Positio é dividida em três partes:

– A vida, que apresenta uma biografia da pessoa estudada;
– As virtudes, que são as três virtudes teologais (fé, esperança e caridade), as quatro virtudes cardeais – prudência (sabedoria), fortaleza (coragem), temperança e justiça – e as três virtudes da vida religiosa: pobreza, castidade e obediência. Para cada uma dessas é preciso apresentar exemplos concretos.
– A Fama de santidade, mostrando como José Engling era visto como santo pelos que conviviam com ele e que essa fama se estende depois de sua morte.

Pe. Jan Korycki, postulador da causa por parte dos palotinos, e Pe. Joachim Schmiedl, se dedicaram a formular esse dossiê nos últimos tempos.

A “Positio” será agora avaliada por uma comissão histórica e depois por uma comissão teológica. Se a Congregação para a Causa dos Santos aprová-la, o Papa poderá lançar um decreto sobre as virtudes heroicas de José Engling e ele passará a ser considerado e chamado de “Venerável”, como aconteceu há algum tempo com a Venerável Ir. M. Emílie Engel.

Quem é José Engling?

JoseEngling

Foi um seminarista palotino e aluno do Pe. José Kentenich. Ele pertencia à Congregação Mariana, que deu origem ao Movimento Apostólico de Schoenstatt, e foi um dos que primeiro e mais profundamente compreendeu o sentido da Aliança de Amor.

Toda sua vida foi um esforço e entrega para viver essa Aliança, como fundamento para a Obra de Schoenstatt recém-fundada. Sua vida de Aliança levou o Pe. José Kentenich a afirmar: “Engling foi o Documento de Fundação vivido!”.

Como soldado na Primeira Guerra Mundial, deu testemunho de como a santidade pode ser vivida em ambientes totalmente adversos. Continuou ali seu esforço pela santificação e viveu fielmente a Aliança de Amor pelas contribuições ao Capital de Graças. Seu diário relata o heroísmo de uma vida entregue a Deus sob o cuidado e proteção de Maria.

Assim escreve: “Querida Mãezinha, quero aproveitar as difíceis circunstâncias em que me colocaste para me santificar o mais depressa possível. Na vida militar, tu me deste uma ótima ocasião, embora espinhosa. Quero aproveitá-la. Chamaste-me a ser teu vassalo. Quero esforçar-me por aproximar todos de ti”.

Engling faleceu em 4 de outubro de 1918, em Cambrai/França, poucos dias antes de terminar a Primeira Guerra Mundial. No local onde o jovem heroi tombou, no território francês que faz divisa com a Alemanha, foi construído o Santuário da Unidade e é onde ele está sepultado.

O exemplo do jovem soldado que ofereceu a vida pela Obra da MTA permanece para todas as gerações. Pe. Kentenich repetiu muitas vezes e continua repetindo àqueles que pertencem à sua Obra: “Quem será o José Engling de hoje?”

Com informações de franciscanos.org.br