7º Dia – Nossa família: instrumento do Pai

12 de julho de 2016

Rezemos pelo Congresso da Obra das Famílias de Schoenstatt:

familiasOração Inicial:

Dá-me ó Deus,
Um coração filial para crer,
Um coração maternal para amar,
Um coração viril para agir.
Dá-me, para a atitude filial na fé: tempo e paz;
Para a atitude maternal no amor: pureza e alma;
Para a atitude viril no agir: humildade e confiança.

Ensina-me a verdadeira magnanimidade.
Ensina-me a servir, como tu o mereces;
Dar, sem contar;
Lutar sem olhar as feridas;
Trabalhar sem procurar descanso;
Entregar-me sem esperar retribuição.
A mim será suficiente a alegria de saber ter cumprido a tua santa vontade.

Ó Deus, eu me entrego totalmente, Criador e Senhor, Pai cheio de amor e bondade, sabedoria e onipotência.
Cumpre tua vontade em mim e por mim. Que eu seja teu instrumento, disposto, humilde e, se quiseres, cego. Amém.
(Dr. Fritz Kühr)

Leitura: Trecho Amoris Laetitia 162

“Uma mulher pode cuidar do marido doente e ali, ao pé da Cruz, volta a oferecer o ‘sim’ do seu amor até à morte. Em semelhante amor, manifesta-se de forma esplêndida a dignidade de quem ama, dignidade como reflexo da caridade, já que é mais próprio da caridade amar do que ser amado”.

Reflexão:

“Tenho câncer no fígado. Uma doença que, conforme cálculos humanos, me levará lentamente à morte. (…) Consagrei, mais uma vez, minha vida inteiramente, e sem reservas, à Mãe Três Vezes Admirável. Se meu sofrimento e minha morte contribuírem mais para a Obra do que a minha vida, eu a dou; que Ela aceite e me alcance, de seu Filho, a graça de realizar essa entrega como Ele o espera de mim, um filho de sua Mãe. Porém, se minha vida ajudar mais à Obra da Mãe, que me conceda novamente saúde e vida, e me interceda a graça de, como instrumento em suas mãos, poder trabalhar e agir, sofrer e mais tarde também morrer para o reino mariano de Cristo neste mundo”.
(Trecho da carta de Fritz Kuhr ao Pe. José Kentenich, 5 de agosto de1950)

Como lidamos com as dificuldades e desafios diários, lembramos que somos instrumentos do Pai? No trabalhar, agir e sofrer?

Oração final:

Sagrada Família de Nazaré,
que nunca mais haja nas famílias
episódios de violência, de fechamento e divisão;
e quem tiver sido ferido ou escandalizado
seja rapidamente consolado e curado.
(Trecho da oração final de Amoris Laetitia)