6º Dia – Nossa família: berço de força e coragem

11 de julho de 2016

Mais um dia de oração para o congresso sobre a beleza da vocação matrimonial:

liga-de-familiasOração Inicial:

Dá-me ó Deus,
Um coração filial para crer,
Um coração maternal para amar,
Um coração viril para agir.
Dá-me, para a atitude filial na fé: tempo e paz;
Para a atitude maternal no amor: pureza e alma;
Para a atitude viril no agir: humildade e confiança.

Ensina-me a verdadeira magnanimidade.
Ensina-me a servir, como tu o mereces;
Dar, sem contar;
Lutar sem olhar as feridas;
Trabalhar sem procurar descanso;
Entregar-me sem esperar retribuição.
A mim será suficiente a alegria de saber ter cumprido a tua santa vontade.

Ó Deus, eu me entrego totalmente, Criador e Senhor, Pai cheio de amor e bondade, sabedoria e onipotência.
Cumpre tua vontade em mim e por mim. Que eu seja teu instrumento, disposto, humilde e, se quiseres, cego. Amém.
(Dr. Fritz Kühr)

Leitura: Trecho da catequese do Papa Francisco em 6 de maio de 2015.

“A rota é, assim, marcada para sempre, é a rota do amor: ama como Deus ama, para sempre. Cristo não cessa de cuidar da Igreja: a ama sempre, a protege sempre, como a si mesmo. Cristo não cessa de tirar da face humana as manchas e as rugas de todo tipo. É comovente e tão bonita esta irradiação da força e da ternura de Deus que se transmite de casal a casal, de família a família. São Paulo tem razão: este é propriamente um ‘mistério grande’! Homens e mulheres, corajosos o suficiente para levar este tesouro nos ‘vasos de argila’ da nossa humanidade, são – estes homens e estas mulheres corajosos – são um recurso essencial para a Igreja, também para todo o mundo! Deus os abençoe mil vezes por isso!”

Reflexão:

Realmente, Fritz e Helene são um exemplo de casal que provou que o amor supera todas as distâncias e sofrimentos e que o amor mútuo é uma profunda realidade durante toda a vida. Amaram-se e respeitaram-se até o fim! Esse amor foi provado definitivamente quando, em 1950, se teve a certeza da doença terminal de Fritz Kühr.

Como nosso amor nos ajuda a superar distâncias (físicas e psicológicas) e sofrimentos?

Oração final:

Sagrada Família de Nazaré,
tornai também as nossas famílias
lugares de comunhão e cenáculos de oração,
autênticas escolas do Evangelho
e pequenas igrejas domésticas.
(Trecho da oração final de Amoris Laetitia)